Crítica | O Grito – Reboot do terror é criativo e possui...

(CRITICA FILME: "O Grito")

8,0 / 10🍿🍿🍿🍿🍿🍿🍿🍿

Originalidade: ⭐⭐⭐⭐⭐

.

[email protected]_lay

O filme trata-se de um remake de uma obra original japonesa dirigida por takashi shimuzu em 2002, O primeiro remake de Ju-on chegou aos cinemas dois anos depois, em 2004, ainda na onda de popularização do horror originário do Japão, e dirigido pelo próprio Shimizu. E apesar de reconhecer que a versão americana não é nenhum primor, trata-se de um filme de terror bastante eficiente. Esta versão ainda gerou mais uma sequência interessante em 2006, ainda dirigida por Shimizu, e mais uma sequência bastante inferior lançada diretamente em vídeo em 2009. .

Quase 15 anos depois do primeiro lançamento do remake resolveram investir novamente na história da terrível maldição que persegue os pobres e infelizes que estão envolvidos com ela de alguma forma, essa missão foi dada ao jovem diretor Nicolas Pesce, oferecendo uma nova perspectiva sobre a história criada por Shimizu não perdendo sua essência. Atendendo todos os requisitos de um bom remake. .

Nesta versão de O Grito tem sua premissa central de que uma casa supostamente infectada com a energia assombrada de uma mãe, Kayako (Junko Bailey) que assassinou toda sua família e que sausa terror e caos ao novos moradores do local. A narrativa conta três histórias diferentes com grupos de residentes que viveram na mencionada casa assombrada, e que foram tocados pelo mal que vive lá. Em contra partida a detetive Muldoon (Riseborough) trabalha incansavelmente pra resolver os misteriosos motivos por traz dos assassinatos que deram inicio a terrível maldição. .

Mesmo tendo três historias diferentes que costuram os diferentes caminhos narrativos que conduzem a trama não perdem o ritimo e a constante sensação de tragédia, não faltam momentos assustadores e graças ao elenco tudo isso é muito mais valorizado. Há até uma releitura da infame sequência do banho, onde uma mão parece sair da cabeça de um dos personagens enquanto este lava a cabeça. Quem aqui nunca teve medo de fechar os olhos no banho e ver um demônio quando os abrisse que atire a primeira pedra.

O grito vale apena investir tempo na empreitada. Principalmente que garante duas.

Crítica | O Grito – Reboot do terror é criativo e possui...

 Crítica | O Grito – Reboot do terror é criativo e possui...

Envie uma Mensagem

Um email será enviado para o proprietário

Entre em Contato

Redes Sociais